Educação

Educação inclusiva é ensinar a todos, sem distinção!

educação inclusiva
Escrito por Lilo

Educar é uma forma de amar e dar oportunidades. A educação inclusiva, então, é o caminho para tornar o mundo mais justo e garantir um futuro melhor a todas as crianças. Apesar disso, a inclusão segue sendo o grande desafio dos educadores.

Para alcançar uma verdadeira educação inclusiva, é preciso pensar em todos os aspectos do processo de ensino, e em como cada um deles vai agir para alunos com distintas realidades. Por isso, queremos propor algumas ideias de como trabalhar com alunos diferentes.
Vem com a gente!

O que é educação inclusiva?

Antes de discutir como realizar a educação inclusiva, é preciso realmente entender o que significa essa inclusão. Afinal de contas, ela influencia desde grandes mudanças até as pequenas atitudes.

A educação inclusiva não é simplesmente disponibilizar o texto que será lido em sala de aula em braile para alunos portadores de deficiências visuais;ela está em pedir que esses alunos participem da leitura em voz alta.

Essa distinção entre inclusão e acessibilidade é muito importante. Até o início do século 21, era comum que se pensasse que a educação poderia ser feita em instituições diferentes para alunos diferentes: uma escola regular, para os alunos sem necessidades especiais, uma especial, para aqueles que enfrentam desafios.

Os alunos com Necessidades Educativas Especiais (NEE) são iguais aos outros, mas precisam de uma forma diferente de atenção, o que era tratado erroneamente com a segregação desses estudantes.

Crianças pulando em uma pedra: a educação inclusiva permite que todos os alunos experimentem juntos.

A ideia de educação inclusiva evoluiu, e hoje o princípio de manter todos os alunos na escola regular se mostra importante para ajudar aqueles com limitações a superar os obstáculos.

Como tornar sua escola preparada para a educação inclusiva

A educação inclusiva é uma questão de adaptar a escola às necessidades conforme elas surgem. Nem sempre a instituição terá alunos que precisarão do uso do braile ou de Libras para o aprendizado, mas é importante que elas estejam preparadas para essas situações.

A melhor forma de fazer isso é investir no aperfeiçoamento dos educadores. Existem diversos cursos de libras, braile e outras ferramentas de inclusão nas quais os profissionais podem investir e se especializar. O preparo é a melhor forma de evitar dificuldades.

Para que tudo corra bem, é preciso entender que existe um enorme espectro de alunos com NEE, e cada um deles exige um diferente tratamento e forma de adaptação para que possa haver a educação inclusiva.

O melhor é manter sempre aberto o diálogo com os pais, já que eles estão acostumados a conviver com os obstáculos que surgem e podem ser de grande auxílio. Tenha em mente, porém, que eles não são profissionais e às vezes têm concepções erradas que precisam ser corrigidas com compreensão.

Educação Inclusiva: os alunos regulares como apoio

As crianças são inocentes, sem preconceitos que podem atrapalhar na hora de socializar com os alunos com NEE. Dessa forma, é interessante contar com o apoio da classe na hora de aplicar a educação inclusiva.

Para isso, claro, a primeira atitude deve vir dos educadores. É importante, por exemplo, destacar as semelhanças sobre as diferenças, fazendo com que os alunos regulares encarem a educação inclusiva como parte do seu cotidiano.

A presença de um aluno com NEE pode ser trabalhada ao lado de ações de combate ao bullying. A adaptação desse estudante em sala de aula deve ser trabalhada como algo positivo para a formação coletiva, tanto para as crianças quanto para os pais.

Pensando a inclusão

A melhor forma de conseguir integrar os alunos com NEE é realmente dedicar seu tempo a pensar no processo de integração. Uma das formas que o Plano Nacional de Educação (PNE) indica é fazer isso através da inclusão da educação inclusiva a partir da criação do Projeto Pedagógico da escola.

Crianças brincando em pula-pula: a educação inclusiva integra as crianças nas aulas e brincadeiras

Dessa forma, é mais fácil criar uma rede de apoio, envolvendo profissionais especializados e organizações de apoio às diferentes necessidades especiais, além das famílias. Os psicólogos são um exemplo de profissional sempre bom de manter próximo da escola quando o assunto é educação inclusiva.

A educação inclusiva é um assunto delicado, mas muito importante. A colaboração entre todos os envolvidos é essencial para que ela se torne uma vantagem do processo de ensino e ajude a encerrar separações sociais.

Se você precisar de ajuda e apoio com a questão da educação inclusiva ou outras relacionadas ao ensino infantil, confira as nossas dicas no blog.