Escola

As 5 principais características da escola do futuro

Escrito por Lilo

Quer saber o que vai acontecer na escola do futuro? Selecionamos as principais características desse modelo para que você saiba como preparar sua instituição!

Em uma sociedade em constante transformação, não se pode supor que o modelo educacional vigente seja adequado para formar os cidadãos e profissionais que atuarão nas próximas décadas. Por isso, mudanças estruturais e pedagógicas, bem como a inserção da tecnologia na sala de aula, estão contribuindo para redesenhar a escola do futuro.

Embora algumas dessas mudanças sejam graduais, podemos ter certeza de que elas serão mais rápidas do que imaginamos. Afinal, à medida em que as tecnologias vão se tornando acessíveis, mais elas são empregadas em todo tipo de negócio, incluindo as instituições de ensino.

Porém, não é apenas o uso da tecnologia que promete revolucionar o ensino. Não podemos nos esquecer de mudanças estruturais e pedagógicas. Quando aplicadas, essas teorias têm o potencial de revolucionar o cenário educacional brasileiro e mundial.

Quer saber quais são as tendências que prometem transformar a escola nos próximos anos? Então, não perca este post! Vamos explicar quais são as 5 principais características da escola do futuro.  Fique atento e identifique se a sua instituição está adiantada nesse processo ou se é necessário acelerar essa mudança.

As transformações da escola do futuro.

1. Desestruturação do modelo tradicional da sala de aula

A tendência para os próximos anos é uma transformação que já está acontecendo há algum tempo e promete se acentuar: o fim das longas fileiras de carteiras, em que os alunos se sentam uns atrás dos outros e assistem passivamente às explanações do professor.

A ideia é que, cada vez mais, as carteiras sejam organizadas em grupos ou em grandes círculos na sala. Essa disposição facilita a participação e o protagonismo do aluno por meio de debates, apresentações, discussões ou modelos de ensino cooperativo.

2. Uso de materiais digitais

Uso de materiais digitais na escola do futuro.

Além da variedade de formatos — textos, imagens, vídeos, jogos, infográficos —, os materiais digitais evitam o desperdício de papel. Como o meio ambiente é uma questão fundamental nos dias atuais, a tendência é que o conteúdo seja apresentado de formas que causem menos impactos ambientais.

O uso de recursos digitais também tem uma outra função: ensinar o estudante a realizar pesquisas produtivas na internet e a utilizar o senso crítico para filtrar as informações que recebe. Considerando que a web é uma ferramenta fundamental no século XXI, esse tipo de orientação precisa fazer parte do conjunto de competências que a escola ensina aos alunos.

3. Agenda digital

Entende-se que a participação da família é essencial para o bom desempenho do aluno e para que os pais e a escola estejam alinhados nesse processo educacional. Por isso, a comunicação entre essas duas partes precisa fluir por meio de ferramentas que permitem o contato em tempo real.

Nesse contexto, a adoção de agendas digitais está entre as principais características de uma escola do futuro. Elas não só possibilitam esse contato frequente e instantâneo, mas também o compartilhamento das atividades realizadas em sala de aula, o engajamento dos pais e o estabelecimento de uma relação de confiança entre ambas as partes.

4. Alteração no papel do professor e sua valorização

Com as informações disponíveis em qualquer lugar, o papel do professor muda drasticamente na escola do futuro. Ele passa a ter uma função muito mais desafiadora: motivar o estudante a se tornar um pesquisador, conduzir seu processo de aprendizagem por meio de ferramentas tecnológicas e mostrar como aplicar esse conhecimento com projetos significativos.

Portanto, o foco do ensino se direciona da informação para o desenvolvimento cognitivo; da retenção e memorização para a elaboração de soluções; de uma postura relativamente passiva para a produção de conhecimento; da recepção dos conceitos transmitidos social e culturalmente para a contribuição efetiva para a sociedade.

Como se pode esperar, a valorização desse tipo de profissional também deverá ser diferenciada. É fundamental que, para formá-los e retê-los, a escola ofereça um plano de carreira rentável e direcionado ao sucesso, e não ao esgotamento. Uma remuneração que possibilite a qualidade de vida e a capacitação constante se tornará prioridade.

5. Imersão e individualização na escola do futuro

Uso de realidade virtual na escola do futuro.

Algumas ferramentas tecnológicas devem se tornar cada vez mais frequentes na sala de aula da escola do futuro. Entre os exemplos, estão os dispositivos que permitem o uso de Realidade Virtual e Realidade Aumentada.

Por meio desses equipamentos, os alunos conseguirão imergir em ambientes fora de seu alcance. Eles poderão visitar biomas geograficamente distantes, fazer uma jornada pelo corpo humano ou conhecer o espaço, entre outras alternativas.

Também não podemos desconsiderar a possibilidade de individualização. Com as plataformas adaptativas, a inteligência artificial propõe uma trilha de aprendizagem customizada, de acordo com os conteúdos dominados pelo aluno ou suas eventuais dificuldades.

Dessa forma, a plataforma pode propor que ele assista vídeos ou animações, faça exercícios e outras atividades que permitam o progresso em seu próprio ritmo. Também podem apresentar tarefas diversificadas, com desafios compatíveis com o nível do estudante, estimulando-o a continuar aprendendo.

E então, o quanto sua instituição está perto desse modelo de escola do futuro? Que tal começar esse processo pelo recurso mais fácil de adotar: a agenda digital? Confira nosso post e descubra as vantagens dessa ferramenta!